O misticismo e o sobrenatural em alguns lugares de Rio Preto.

O que chamamos hoje de ciência trata-se basicamente de uma interpretação de mundo com métodos e técnicas próprios que começaram a se configurar mais estruturadamente a partir do Renascimento.

Extensões e interpretações subjetivas do mundo figuram entre os entendimentos mais antigos. Normalmente o misticismo e o sobrenatural estão ligados às religiões e sistemas de crenças, muitos dos quais existem há 5.000 mil anos, a Cabala e o Hinduísmo fazem parte dessas expressões.

O progresso que a ciência nos trouxe promoveu mudanças sem precedentes na história. Contudo, ainda guardamos conosco muito do misticismo e do sobrenatural. O misticismo e o sobrenatural, de modo geral, são vistos de forma pejorativa pelas pessoas não versadas nas humanidades. Obviamente são extensões que guardam uma significativa relação com crendices, senso comum, fanatismo etc. Tudo isso pode causar perigos e comportamentos que comprometem relações altruístas. A ciência também trás consigo seus perigos, mas são mais aceitáveis devido a capacidade de comprovação e aferição universal de seus resultados.

A pretensão aqui é mostrar e narrar histórias e determinados lugares de São José do Rio Preto que adquiram no tempo histórico algum relato místico e sobrenatural. Não guarda relações com a ciência, mas se enquadram no rool da memória, da história e da cultura, posto que são locais pelos quais pessoas desenvolveram vínculos, viveram e sentiram o que deles falaram ou presenciaram ver conceito de lugar em Geografia. Dessa forma, deixamos claro que o que desses lugares se falam são informações do senso comum, relatos; dentre outros de comprovação impossível.

Praça Rio Branco-centro de Rio Preto – foto Alexandre de Freitas.

Talvez o lugar que guarda mais misticismo em Rio Preto seja a Praça Rio Branco, onde se localiza o fórum central da cidade. Ali foi o primeiro cemitério de Rio Preto, depois do cemitério tornou-se um espaço vago e depois foi construído o grupo Cardeal Leme. Ouvem-se relatos de pessoas que sentem sensações estranhas desde os tempos do colégio, alguns comerciantes e funcionários de comércio das proximidades já relataram agouro e má sorte nos seus estabelecimentos.

Praça Ugolino Ugoline,
Vila Maceno – foto: Alexandre de Freitas.

Ainda se falando em campos santos, o segundo cemitério da cidade se localizava onde hoje é a praça Ugolino Ugoline, na vila Maceno. Hoje há uma escola infantil exatamente onde era a parte mais baixa do cemitério, as igrejas da paróquia Monte Serrat na parte de cima da praça, um coreto e um ponto de táxi.

Sobre o local as história são muitas, já surgiram relatos que acharam ossos quando foram fazer a orta da escola, espíritas já relataram que um centro próximo ao local foi construído com a finalidade de resgatar espíritos que habitaram os corpos que ali foram enterrados, existem também relatos de sensações estranhas de quem por ali passa constantemente.

Capelinha da avenida Mirassolândia – foto: Alexandre de Freitas.

Alguns lugares são fora de suspeita, essa capelinha existiu na avenida Mirassolândia próxima ao antigo bailão do São Pedro, mais exatamente no cruzamento com a avenida Antônio Marcos de Oliveira. Dessa eu tenho relatos mais próximos, meu avó (1919-2002) disse que por volta de 1930, uma pessoa dos sítios da região foi comprar formicida Tatu em Rio Preto a mando de um sitiante, bem ali, onde havia a capelinha, ele, a título de brincadeira, disse ao seu companheiro que iria colocar um pouco de formicida na boca para verificar o gosto, apesar do amigo ter o advertido o infeliz jogou um pouquinho na boca, relata-se que o homem caiu em poucos segundos e só deu tempo de dizer: é salgado.

Praça da fonte, na avenida Andaló – foto: Alexandre de Freitas.

A praça da Fonte, inaugurada em 1965 por Loft João Bassitt, fica próxima ao Mc Donald da Andaló, ao lado de um colégio. O lugar foi frequentado por mim, ali havia uma fonte na qual muita gente pegava água ou passava ali para matar a sede, no meu caso, já bebi muita água nessa fonte. Oswaldo Tonello em seu livro “São José do Rio Preto: memória de Oswaldo Tonello” na p. 37, relata que no local onde hoje é o Mc Donald havia um ramal d’água que abastecia algumas chácaras mais abaixo, hoje Santa Cruz. Ao que tudo indica, era um local muito propício à água. Quando se iniciou a obra ao lado, hoje o colégio, não se sabe ao certo, mas fonte secou ou foi desviada. Até aí nada de místico, mas dizem as pessoas ligadas às seitas esotéricas que conectam o ser humano à natureza que, uma agressão desse tipo é factível de uma maldição. Assim, tudo que por ali tentar se estabelecer sofrerá para ter sucesso comercial.

Antigo hospital Egas Munis – foto: Alexandre de Freitas.

Esse lugar também guarda muito misticismo, localiza-se na avenida e maio, próximo ao posto Cristo Rei (um empreendimento imobiliário deve estar prestes a demoli-lo), ali era um hospital psiquiátrico, para certas as pessoas locais como esse guardam energias negativas. São inúmeros os relatos de pessoas que relatam aparições e má influência. Muitas pessoa já relatam pelas nova mídias as histórias horripilantes sobre o local .ver reportagem do Diário da Região Muito antes de existir a internet comercial eu passava por ali no antigo estradão de terra que ligava o São Judas à Vila Toninho e ouvia essas histórias sobre o lugar.

Casarão abandonado na antiga fazenda do Zé Caseiro – foto: Alexandre de Freitas.

Para pessoas que moraram na Vila Toninho o lugar já causou muito arrepio, muitos diziam que era da época dos escravos (historicamente não) e os espíritos deles atormentam o lugar. Havia outras construções que deveriam ter sido preservadas, a sede mesmo foi demolida, na verdade era um lugar muito bonito com uma enorme represa, o bairro Santa Regina e o avanço de barracões comerciais acabaram com a história e a memória da localidade.

A propriedade misteriosa da Estância Jockey Club – foto: Alexandre de Freitas.

Essa propriedade causou muito medo em crianças e adolescentes que passam pelo local na década de 1980, eu já escrevi um artigo leia o artigo sobre o local e muita gente me pergunta se é verdade e eu digo: o medo é verdade, mas as causas reais do medo possivelmente não. Falavam-se em uma enorme casa mal assombrada e coisas de todos o s tipos.

Há outros locais dos quais muito se falam mas de minha parte eu não os vivenciei e nem explorei com profundidade. Dentre eles posso citar: o cruzeiro da Anchieta, ali parece que ocorreu um assassinato; o colégio em frente ao Rio Preto Shopping na avenida Francisco Chagas de Oliveira, parece que foi um hospital psiquiátrico; a catedral de Rio Preto para alguns também se equipara ao um lugar mística, pois ali estão enterrados padres e bispos.

Sobre Alexandre de Freitas

Graduado e pós-graduado em ciências humanas, professor na educação básica e superior.
Esta entrada foi publicada em Cultura. ligação permanente.