Cidadania. Conceito e evolução.

Cidadania

O conceito de cidadania vem da Grécia antiga e passou por varias modificações e entendimentos até os dias atuais. Há várias visões de cidadania que se fundamentam em ideias filosóficas, sociológicas e políticas. A noção de cidadania também sofreu significativas interpretações no tempo e no espaço, povos e culturas diferentes dão contornos próprios a esse conceito.

Porém, de modo geral, a noção que hoje é majoritária tem grande influência dos filósofos iluministas os quais, com suas ideias, influenciaram a Revolução Americana e a Relução Francesa. Podemos afirmar que a cidadania não é algo acabado, ela está em constante modificação e para isso a participação e conscientização da população é de extrema importância.
Vejamos uma reflexão sobre os valores da cidadania:
“A declaração de direitos francesa, bem como a declaração da ONU e a Constituição brasileira, afirma que todos os homens nascem iguais em liberdade e direitos. Esse prncipio, muito vago e genérico, torna-se mais explícito em artigos onde são rejeitadas as distinções de cor, sexo, língua, religião, opinião plítica, ou ainda por razões de orgiam nacional ou social, nascimento, etc.
De maneira geral, predomina nos dias atuais o princípio de que todos são iguais perente a lei. Entretanto, no mundo inteiro a maioria das leis se compõe de duas partes: a primeira, que enuncia os direitos, e a segunda, que enumera as restrições; ainda existem leis especiais que regulamentam as condições de exercícios de outras. 
Esses mecanismos de explicação, do abstrato para o concreto, deixam claro que a igualdade, ou a não-discriminação, não é válida para todos os grupos de indivíduos, especialmente no que se refere aos direitos sociais e políticos.” (MARTINEZ, Paulo. p. 23)
Referências:
MARTINEZ, Paulo. Direitos de cidadania: um lugar ao sol.São Paulo: Scipione (?).
VIEIRA, Liszt. Cidadania e Globalização. 5ed. Rio de Janeiro: Record, 2001.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...